29 novembro 2011

Voluntariado



Política não.Eles querem ajudar,O desejo é mudar o mundo.Só que essa revolução é feita com trabalho voluntario.


O Papo Galera dessa semana ficou por conta de Eduardo Oliveira, administrador do blog Comportamento Sexual em debate. O tema dessa semana é:

Os jovens do século XXI continuam tão idealistas e dispostos a mudar o mundo quanto os dos anos 60. A diferença é que descobriram um caminho que não passa pela militância  política: o do trabalho voluntário. O enfoque diferente entre essa geração e a anterior tem algumas explicações: o Brasil é uma democracia estável praticamente desde que eles nasceram.
A visão ideológica bipolar  desabou junto com o muro de Berlim quando eram crianças. O que viram nos últimos anos só aumentou a desilusão com os partidos políticos. Por outro lado, a opção pelo trabalho voluntário faz notável  diferença num país com tantos contrastes sociais como o Brasil. Nos últimos cinco anos, a participação dos jovens em filantropia pulou de 7% para 34% em 400 entidades brasileiras. Mais de 8 milhões com idade entre 15  e 24 anos realizam alguma atividade voluntária. Estima-se que outros 14 milhões estejam interessados em fazer esse tipo de trabalho, mas não sabem como  começar. Com isso creio que deveria existir em todos as escolas, um dia para praticarmos o Voluntariado, não que seja obrigação para os estudantes, mais que esteja a disposição dos que gostam e sentem prazer em ajudar o próximo.
Os jovens voluntários são movidos por três estímulos básicos. O primeiro é a vontade de ajudar a resolver os problemas e as desigualdades sociais do Brasil. O segundo é o de se sentir  útil e valorizado. Por fim, o desejo de fazer algo diferente no dia-a-dia.
Quando decidem  ajudar, eles procuram principalmente os projetos que envolvem crianças carentes, e os de meio ambiente. O caminho mais fácil para quem quer começar a fazer algum trabalho voluntário está muitas vezes na própria escola. Dezenas de colégios desenvolvem trabalhos sociais como rotina e incluem projetos de voluntariado como disciplina optativa no currículo escolar. 
Outras escolas, principalmente as religiosas, mantém projetos vinculados à igreja e a paróquias de comunidades carentes. É possível também se inscrever em ONGs especializados em encaminhar voluntários para entidades. Elas funcionam como uma agência de emprego, em que os candidatos indica as habilidades, o trabalho que gostaria de fazer e o tipo de instituição em que quer atuar. 


A pergunta é a seguinte:
Você acredita que deveria ter um dia especial para o voluntariado nas escolas?

2 comentários:

  1. Nao deveria, como Deve haver, além de tah fazendo o bem para as pessoas, vc tará fazendo o bem pra vc mesmo, Ultima vez que fiz algo voluntario foi envolvendo crianças carentes, e nao há nada melhor que você fazer o melhor pra eles e no final eles te abraçarem e agradecer por tudo aquilo.

    ResponderExcluir
  2. Você tem toda razão, mais acredito que não deveria ser um dia, mais sempre. Existe muitas pessoas que precisam de uma "mãozinha" e não custa nada servos solidários e ajudar o próximo.
    Obrigado Douglas pelo comentário e pela sua visita.

    ResponderExcluir

Postagens populares