28 outubro 2011

Duendes Brasileiros


A Cultura brasileira é muito rica e variada, ela se apresenta em diversas manifestações populares em diversos modos, tais como:
Instrumentos musicais, artesanatos, medicina caseira, danças, cantigas e brincadeiras infantis, desafios, festas, comidas típicas e nas crendices e superstições. 
Estive lembrando a minha infância e me recordei dos mitos que meu pai me contava. Eu morria de medo da mula sem cabeça e do lobisomem. Então resolvi apresentar os mais conhecidos doentes brasileiros, para você se identificar e ver quais deles fizeram parte de sua meninice. Dentre os principais que povoam a crendice de nosso povo temos:


Iara
Iara se destaca entre os duendes por ser uma linda mulher, em algumas estórias ela aparece loira e já em outras morena com a forma de peixe da cintura para baixo. Vive nas profundezas dos rios e lagos. Pobre do homem que ouvir o canto da Iara, De maravilhosa melodia, ele se encanta pela mesma e se joga nas águas, vindo a morrer afogado.



Boto

É a versão masculina da Iara. Trata-se de um belo rapaz que sai a noite dos rios e lagos, tocando bandolim, encantando e conquistando as moças da região.  Geralmente leva as  jovens para beira do rio e depois de seduzidas ele atira-se dentro d'água, transformando-se em boto. 




Curupira
É um duende menino, peludo e com os pés virados para trás. Ele é considerado o protetor da natureza, principalmente dos animais, por isso se explica a razão de ele ter os pés virados para trás, justamente para confundir os caçadores. A quem diz, que quando o caçador mata filhotes e fêmeas gravidas ele castiga os caçadores.







Lobisomem
O lobisomem é um homem comum, cuja se transforma em fera, em todas as luas cheias, no caso as sextas feiras. No surgimento do sol, ele volta a sua forma humana. O lobisomem nada mais é que vitima de um encanto, que se obtém quando uma mulher virgem engravida de um padre. Pra se quebrar o encanto, é necessário corta uma das patas, untar a ferida com cera de vela que ardeu durante três missas dominicais ou no período da missa do Galo, á meia-noite do Natal.




Mula Sem Cabeça

Conforme historiadores, uma rainha apresentava o costume estranho de sair à noite. E vagar as escondidas pelo cemitério do reino. Então certo dia o rei resolveu segui-la. Surpresa a rainha assustou-se e após dar uns gritos espalhafatosos se transformou na mula sem cabeça, sua maldição é galopear pelos campos espalhando pavor.





Saci-pererê
O meu preferido! 
Menino negro com apenas uma perna, usa uma espécie de gorro vermelho na cabeça e sempre com cachimbo na boca. Muito sapeca, apronta muitas peraltices pelas fazendas e no interior do Brasil:
Choca os ovos, abre porteiras e mais uma infinidade de maldades.
Segundo meu avô, aonde há um redemoinho, pode estar certo que tem saci por perto.




Imagens Google







2 comentários:

  1. seria bom se realmente tivesse um curupira para defende nossas floresta pena que não tem.

    ResponderExcluir
  2. É Mayara, seria bom ter um defensor da nossa natureza.
    Valeu ela visita e comentario

    ResponderExcluir

Postagens populares